Notícias

  • Default
  • Title
  • Date
  • Random
load more hold SHIFT key to load all load all

Tudo parece indicar que, mediante sugestão do padre Nino, a decisão de transferência da comunidade e do próprio Orfanato para o bairro de Jacarepaguá, no subúrbio do Rio, foi aceita pela comunidade religiosa. A escolha desse novo local era motivada em razão de padre Magaldi ser o pároco da localidade. Ele era grande amigo e admirador do padre Nino e oferecera-se para dar amparo e proteção à incipiente fundação das Servas de Maria Imaculada.

No dia 20 de janeiro, a direção da Associação decidiu optar pela transferência, cópia da ata n. 2, conservada no arquivo da Congregação. Assim está registrado no arquivo da Congregação:

“Aos 20 do mês de janeiro de 1920, nesta Vila de São Gonçalo, à Rua Coronel Tamarindo, n. 2, às 12 horas, reuniu-se o Conselho da Associação das Servas de Maria, a cujo cargo está o Orfanato de São José, tendo comparecido as conselheiras Maria Cândida de Castro, Carlinda Rocha, Decymira Teixeira Leite e Elvira Gambarelli. A presidente Maria Cândida de Castro declarou aberta a sessão, e explicou que o fim da reunião era deliberar a transferência do referido Orfanato para a Estrada da Freguesia, n. 1012, em Jacarepaguá.”

Maria Cândida e Carlinda aparecem desde o início à frente das principais decisões da Associação das Servas de Maria. Todo o processo de transferência teve seu percurso um tanto lento e respeitando as exigências da situação em que se encontrava a jovem Congregação. Por este motivo, veremos agora o que ficou ainda para solucionar.