Notícias

  • Default
  • Title
  • Date
  • Random
load more hold SHIFT key to load all load all

O desenvolvimento da obra e a abrangência que a jovem Congregação ia realizando, ao atingir até mesmo outros estados e abrindo novas casas, levou a pensar e organizar uma pastoral que tivesse por objetivo falar da vocação à vida religiosa consagrada e da formação das jovens que iam entrando.

Este processo teve muitos desdobramentos, que veremos de forma bastante sucinta para dar espaço à significação de tais desdobramentos para a jovem Congregação. Segundo a pesquisa feita nos Arquivos da Congregação, de documentos e registros considerados fontes primárias e originais desta elaboração, destacam-se, mais que fatos históricos, simplesmente, os eventos do Espírito Santo que abriram os caminhos que levaram várias instituições religiosas a se pronunciarem sobre a aprovação do novo instituto nascente na Igreja.

Destacam-se significativas atitudes e entusiasmados sentimentos de satisfação por parte de irmã Cecília e padre Nino com relação à nova mudança de lugar social e de estilo de vida autônomo para as religiosas que haviam se transferido da Diocese de Niterói para a arquidiocese do Rio. Três fatos históricos foram fundamentais para a consolidação da jovem Congregação.

O primeiro fato a ser evidenciado teve uma influência muito grande e significativa para a Associação das Servas de Maria Imaculada. Foi sua aceitação, na Arquidiocese, por D. Sebastião Leme, que era arcebispo coadjutor do cardeal Arcoverde. Diante de algumas restrições feitas pelo cardeal Leme, padre Nino não se deteve em tomar uma posição de avanço para que a jovem Congregação tivesse seu começo segundo as exigências eclesiásticas. Entrou em contato com o novo bispo de Caratinga, D. Carloto Távora, através de seu irmão Belizário Távora, que prontificou-se a erigir a nova Congregação em sua diocese, Caratinga, tão logo fosse obtida a autorização da Santa Sé, e a agregação à Ordem dos Servitas.

A pendência mais grave era a respeito da propriedade da nova construção de um colégio feita em São Gonçalo, que pertencia às religiosas, como consta dos Estatutos e Registros da jovem Congregação.